Vamos falar sobre … “mamas”?

Seios seria o termo mais adequado para se referir ao peito de uma mulher, mas talvez não tivesse o mesmo impacto.

Quando disse que iria escrever sobre “mamas”, todos me perguntaram “mas o que podes falar sobre isso? o que há para dizer?“.
Ah, há tanto para se poder falar, tanto que poderia abordar!

Primeiro que tudo, homens, as mulheres não vos iludem. É necessário saberem que existem vários tipos de sutiã, e que cada um deles provoca um efeito diferente no peito de uma mulher. Quando seleccionamos qual usar, depende da roupa que iremos vestir, se queremos realçar o nosso peito, ou se preferimos passar mais despercebidas.

Desde sempre usei sutiãs com aros e almofada, mantinham o peito no sítio, tudo bem organizado e bonito. Mas nos últimos anos, a minha posição em relação a isso mudou imenso, não só por todos os problemas que o seu uso constante pode provocar na nossa saúde, como o desconforto de os usar na maioria das vezes.

Há mulheres que não conseguem dormir sem sutiã, e outras que se sentem incomodadas com o uso do mesmo. Respeitamos cada uma delas. E é sobre isso que este post se baseia, na aceitação.

Infelizmente ainda existem muitos preconceitos na nossa sociedade, mas não me irei alargar demasiado nesse ponto, talvez o faça em outro post.

Para quebrar alguns tabus, têm sido desenhadas linhas de lingerie incríveis, nomeadamente os bralettes que, além de serem super confortáveis, se tornaram uma tendência para usar como roupa exterior, tendência essa que é aprovada por muitos, e criticada por outros tantos. Assim como tudo.

Ainda existem muitas mulheres que se sentem pressionadas a andar constantemente com um peito “definido”, seja pelos comentários, pela ideia de que é isso que vai conquistar um homem, ou por terem receio de se notar na roupa que não os estão a usar, o que as leva a usar sutiãs que apertam e criam um desconforto imenso.
Sabem que mais? Já passou da hora de isso mudar.

Não estou a dizer não ao uso de sutiã, mas escolham um modelo com que se sintam confortáveis, sem pensar se ele vai aumentar ou diminuir o tamanho do peito,e usem-nos apenas quando quiserem e se o quiserem, por ser uma escolha, e não uma obrigação.
Aceitem o vosso peito do jeito que ele é, seja grande ou pequeno, saliente ou mais discreto. O importante é sentirem-se bem com o vosso corpo. Porque, acreditem, melhor que uma mulher com um corpo aparentemente perfeito e aceite pelos parâmetros impostos pela sociedade, é uma mulher segura de si mesma.

Todas as mulheres deveriam, pelo menos uma vez, sair de casa sem sutiã. No início será estranho, mas quando se habituarem, acreditem, não haverá melhor sensação que essa.

E tu? Já experimentaste a liberdade de viver sem sutiã?